AQUI ESTOU EU LAVADA EM LÁGRIMAS

12:25 Susana Rodrigues 0 Comments


E foi como fiquei depois de deixar a F na creche esta manhã (e continuo enquanto escrevo...).
Por motivos profissionais e pessoais, decidimos que ela deveria ir já para a "escolinha". Temos que trabalhar, avançar com os nossos projectos e para isso é preciso disponibilidade e tempo.

Mas lá está, isto é tudo muito bonito e fácil de dizer (ah e tal a creche e o contacto com as outras crianças vão-lhe fazer bem), mas a realidade é outra e custa tanto, mas tanto deixar os nossos filhos pela primeira vez na escola. São tão pequeninos, tão dependentes de nós. Só sei que me dói a alma, não páro de chorar, tenho o estômago às voltas e por mais que o pai me tente acalmar e seja um querido, assim como os amigos e família, eu não acalmo nem por nada e tenho andando num estado de nervos daqueles.

A escola é excelente, as instalações muito boas, as educadoras são exemplares, super atentas, falam imenso connosco, explicam tudo, enviam sms a dizer como é está a ser a adaptação, podemos ligar-lhes sempre que quisermos; e acima de tudo o lado humano e os valores que a escola transmite, foi o que mais nos nos cativou! No entanto, continua a "doer", porque apesar de eu saber que a F está muitíssimo bem entregue, não é o mesmo que estar connosco, COMIGO, em casa, no quartinho dela, no meu colo. Oh God... dou por mim a cheirar os bonequinhos dela!

Eu sei que os pais entendem, mas só vocês mães (e agora falo especificamente para as mães) é que sabem realmente o que custa.

Com a M foi diferente, também me custou horrores, mas já tinha 2 anos quando entrou para o infantário (e dentro da dependência inerente à idade, já era mais "independente", acho que me faço entender), pelo que foi diferente e uma semana depois estava fantástica na brincadeira com os amiguinhos novos!
Mas a F é tão bebé... 

Não foi hoje o primeiro dia dela, foi na semana passada, mas fomos os três (eu, o pai e a mana) e ficámos por lá cerca de duas horas, para a F se adaptar melhor, saímos apenas e muito rapidamente para um café, para ver como corria. Ela chorou um pouco, mas adormeceu.

Mas hoje, o pai deixou-me à porta enquanto esperava no carro (porque lugares para estacionar é mentira) e EU é que tive de a deixar... valeu-me uma amiga (que também lá tem o filho) e me viu super nervosa e foi comigo até à sala.

Deixei-a nos braços de uma das educadoras e como não queria passar-lhe a minha ansiedade, saí logo, mas assim que virei costas ouvi a minha pequenina desatar a chorar... quando olhei para ela, chorava e fazia beicinho a olhar para mim e aí doeu-me mesmo tudo... A minha amiga acalmou-me e ainda bem que ela foi comigo, porque eu estava pronta para desatar a chorar num pranto.

Hoje, o meu lado emocional faz-me sentir egoísta, má mãe, tudo e mais alguma coisa, porque a F devia estar AQUI AGORA. Mas o meu lado racional diz-me, que tudo isto faz parte da vida, do crescimento, da evolução do ser humano; e em termos práticos, temos de nos fazer à vida, trabalhar e avançar (ai pudesse eu ter uma nanny) e sei que me custa mais a mim (a nós) do que a ela e também sei que vai correr tudo bem e que todos nos vamos adaptar.

Quis vir até aqui desabafar, até porque sei que muitas de vocês vão entender, (oh como vão!) e de certa forma sinto-me mais aliviada e calma.

Enfim... passa tão, mas tão depressa. Mas life goes on!


Obrigada por lerem, por "ouvirem", por estarem aí!

0 comentários: